Descarte corretamente seus resíduos

Um simples papel de bala jogado na rua pode chegar até o oceano em algum momento, de alguma forma. Portanto, é importante que as pessoas façam o descarte adequado do lixo, evitando que materiais como o plástico – que demora séculos para se degradar – parem no oceano e, consequentemente, coloquem em risco a vida dos organismos marinhos.
Uma garrafa plástica que é jogada no chão de uma cidade sem praias, pode ser levada pela água da chuva para um rio que vai leva-la ao oceano.
Reduzir o consumo em excesso ou optar por embalagens retornáveis são medidas que também fazem a diferença.

Uma atitude eficaz e ao alcance de todos é o voluntariado. Seja em mutirões de limpeza de praias ou em projetos de conservação da biodiversidade marinha, qualquer pessoa pode contribuir para fazer do oceano um ambiente mais saudável – seja com trabalho e atuação presencial voluntária ou por meio de doações para instituições que têm projetos de conservação e limpeza da costa e do mar ou que preservam espécies marinhas.

O Brasil está entre os países que consomem pescados de forma não sustentável, ou seja, não preservando os limites impostos pela natureza. É alto no país o índice de sobrepesca e pesca ilegal, além da falta de produtos certificados.
Os consumidores, por sua vez, podem priorizar a compra do pescado com certificação e não comprar determinado pescado em épocas em que sua pesca é proibida. Também é possível verificar na hora da compra, se o tamanho mínimo da espécie para venda foi respeitado durante a captura.
Esse tipo de atitude contribui com o desenvolvimento das espécies e para que a atividade pesqueira se torne mais sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.